Confissões de uma revoltada











{3 de Novembro de 2011}   Amigos ou interesseiros?

Todas as pessoas em qualquer momento da sua vida precisam de estar rodeados de pessoas… de amigos!

Alguém com quem possamos nos divertir, um ombro amigo, um conselheiro… sempre precisamos de amigos. Por uma questão de Status, para nos sentirmos bem e com o ego em alta, para que sejamos bajulados… Quem disser que não precisa de amigos, está a mentir! Todos precisamos.

Eu neste momento ando a fazer um género de introspecção. E a coisa não está a correr bem… Ao analisar as pessoas que considero minhas amigas, deparei-me com a lamentável situação: não são assim tantos quanto eu julgava serem.

Alguns consideram-me uma “boa companhia” para um café ou para “dois dedos de conversa”; outros acham que sou a pessoa ideal para trocar umas sms’s naquele dia porque estão aborrecidos e sem nada para fazer; outros sabem que eu existo mas 99,9% das vezes não sabem quem eu sou… outros falam comigo uma vez por ano, ou por “dever cumprido” ou “só pa dizer que falam”… eu não preciso de pessoas assim!

Eu não preciso de pessoas que se sentem OBRIGADAS a serem minhas amigas ou falarem só porque sim… quero que as pessoas gostem de ser minhas amigas, que me considerem como tal e que me aceitem como sou… com o meu mau feitio e com as minhas parvoíces… eu não quero ser segunda escolha de ninguém porque o X ou o Y se cortou e não têm mais ninguém para sair… eu não quero ser aquela rapariga que manda sms de vez em quando porque estão aborrecidos… eu não quero amigos part-time… quero amigos a sério, amigos de verdade… que façam elogios (podem ser raríssimos mas serão bem aceites), que me faça críticas construtivas, que aceite os meus convites, que ouça os meus conselhos, desabafos e queixas… um amigo que esteja sempre lá e não que apareça de vez em quando para cumprir a sua parte. Essas pessoas não me fazem falta na vida…

Sinto-me frustrada por saber que a ÚNICA pessoa que considero minha amiga no sentido mais amplo da palavra esteja a milhares de quilómetros de distância… Sei que és minha amiga DE VERDADE! e que nada nem ninguém nem o facto de viveres longe para xuxu me vai afastar de ti e deixar que a nossa amizade desapareça! Mais ninguém é digno de ser meu amigo… com os amigos de merd* que eu tenho… não preciso de inimigos… Estou cansada… Vou deixar de ser a otária que todos pensam que sou e tentar agradar a toda a gente e ser amiguinha de toda a gente… acabou-se os convites para cafezadas, almoçaradas e jantaradas como se estivesse a implorar por interacção humana… posso ir lanchar, jantar, almoçar, cafezar sozinha… antes só que mal acompanhada… acabou-se ser sempre eu a mandar sms para saber como eles estão, se estão bem ou mal… sabem o meu número, quando estiverem interessados, já sabem onde me encontrar… se eu eventualmente morrer, serão notificados. Cansei de ser parva, de ser estúpida e de tentar…

Fuck you all…

🙂

Anúncios


{7 de Outubro de 2011}   Wishin’ List

Todos devíamos de fazer uma “bucket list”. Uma lista de desejos, objectivos, metas a atingir, do que queremos fazer antes de chegar aos 30/40/50 anos ou mesmo antes de morrer: andar de balão, visitar um país ao qual somos fascinados(as), experimentar uma comida exótica, fazer uma loucura, aprender uma nova língua ou um instrumento… tanta coisa.

Mas acomodamo-nos e achamos que esse tipo de coisas são para os mais aventureiros e destemidos e não para nós, que já não temos idade, capacidade física e/ou intelectual para estas andanças e acabamos por nos desleixar.

Mas deveríamos mesmo fazer! Ter algo que almejamos alcançar, algo que dê um sabor diferente à nossa vida, que por vezes é monótoma e sem “vida”… mesmo que essas coisas possam parecer impossíveis, devemos de tentar as concretizar na medida do possível.

Houve alguém bastante especial para mim que me disse que devemos de ter objectivos na vida, algo que nos faça sair da cama com um sorriso na cara e não apenas com aquela sensação de “é apenas mais um dia…”. E ele tinha razão! E percebi que já tinha perdido o foco nos MEUS objectivos, metas e ambições… já tinha perdido a minha Bucket List. Ficou gravada na memória mas o curso da minha vida alterouu-se assim como as minhas prioridades e, com o tempo, a lista foi se esvanecendo.

E comecei a reflectir: o que gostaría de fazer antes de morrer? Qual é o meu objectivo a longo prazo? Algo concreto. Qual é a minha paixão?

Existem tantas coisas que gostava de fazer: ir à Austrália ver os kangurus ou surfar, ir a Itália comer uma bela pasta, aprender a tocar guitarra, aprender várias línguas, ter um amor daqueles como no cinema… tanta, tanta coisa. Entretanto algo se perdeu… o encanto de algumas coisas, a impossibilidade de outras, amadureci e comecei a achar o mesmo que os outros acham: que essas coisas não são para mim, mas sim para os outros.

As bucket list serve para nos definir… creio eu! Define que tipo de pessoa és, sem rotulagem nem artificialismos, porque cada pessoa tem um desejo secreto nem que seja um vegetariano ter o desejo de comer carne, para sentir a sensação. Quero voltar a ser a pessoa que era.. sem rotulagem, artificialismos, corantes e conservantes. Ser aquilo que sou e não o que os outros querem que eu seja… não importa se sou aceite ou não; as pessoas genuínas têm que gostar de mim assim. Esse é o ponto de partida para me redescobrir… e nada melhor do que fazer uma lista daquilo que gostaria de fazer a longo prazo, sem pressas nem pressões.

A partir daí, já terei uma pequena noção de quem sou. 🙂



{4 de Outubro de 2011}   Mente difusa

Sentimentos?
O que é isso?

De acordo com o Wikipédia… não, não vou entrar por aí! Não faz sentido nenhum!
É do senso comum que sentimentos são emoções que sentimos… “leigamente falando”.

Eu neste momento sinto raiva da borbulha de proporções épicas que se alojou na ponta do meu nariz. E furiosa por ter esta alergia indescritível e não poder me coçar.

Sinto um misto de sono, fome, vontade de me ir embora… e com a libido totalmente descontrolado!

E sinto que me queixar não me leva a lado algum.

Sinto a alegria de ser véspera de feriado, mas a tristeza de “amanhã é feriado e vou ter que ir trabalhar”; a alegria de ter este part-time mas não ter algo fixo.
É o ciclo da vida…

Sinto e não sinto; alegria e tristeza… binómios, dictomias e contradições.

Sinto o tom paradoxal em que a minha vida se tornou.

Sinto-me bem mas não plenamente satisfeita. Sinto-me feliz mas não completa. Falta-me algo… o quê não sei, nem faço a menor ideia.

Olho para os braços e fico horrorizada. Dá uma comichão danada. Preferia não sentir certas coisas: a dor, a fome, a tristeza, a sensação de insatisfação, abandono e frustração… queria apenas sentir coisas boas, positivas.

Mas a vida é assim mesmo. Temos que sentir as coisas boas e más para usufruír da vida em pleno.

Hoje estou assim. Hoje sinto-me assim. Amanhã passa…creio



{3 de Dezembro de 2010}   CHEGA!!!

Estou farta!!

Farta deste frio… parece que estou no Polo Norte! Só falta ver pinguins a passar na rua.

Farta de dores… dores de dentes, dores de cabeça, dores de ouvidos, dores daqui, dores de acolá… tenho 25 anos, não 70!

Tou farta de homens! Abomino! Odeio! Desprezo! Tenho Raiva!…

Tou farta do meu telemóvel!!! ODEIO-O!… mer** de touch… -.-‘

Já disse que odeio este frio??? Que horror!!!!

Tou farta de questionarem tudo o que faço… sou humana, eu erro… se não errasse era… parva e aborrecida… para não falar que assim seria perfeita!!

Tou farta de tudo e de todos… por mim iam todos para o c……

:@



{11 de Junho de 2010}   Tempo depressivo!

Desde Terça-feira que me sinto invadida por um estado depressivo imenso. E vós perguntais porquê? E eu respondo: Porque está frio e chuva e estamos em Junho que é a altura do ano que supostamente não deveria chover!

Já me sentia depressiva na Quinta-feira passada quando estive a trabalhar num feriado. Então esta Quinta-feira mais deprimida fiquei ao ir trabalhar com frio e chuva. Mas são ossos do ofício!

As mudanças climáticas são uma realidade constante neste planeta. Mais ainda são as minhas contantes alterações humorísticas! Atrever-me-ia a dizer que o tempo é um tanto ou quanto esquizofrénico ou bipolar. Ou me tornar ainda mais bipolar e um tanto ou quanto esquizofrénica! Mas o que era comum à 10 anos atrás… agora já não o é!

Antes, no mês de Junho, o sol já raiava cedo, já nos atreveríamos a andar com roupas mais frescas e guardavamos as roupas de Inverno no fundo do roupeiro e retiravamos do fundo deste, as roupitas de Verão. Já pensavamos no bikini que iríamos comprar, nos vestidinhos de praia, nos caracóis e nas noitadas na esplanada.
Agora… tive que tirar o casacão de Inverno para andar com ele. Havaianas? Nem pensar!!! E ainda nem bikini comprei (mas isso são por motivos alheios a vós!).

E se fosse uma chuva intensa, um manancial de chuva… mas não!! É aquela chuva irritante que não molhas mas…irrita!!!

E portanto, pelos motivos acima apresentados (chuva e frio em “quase” Verão!), me deixam deprimida… isso e o típica TPM! Mas isso é outra história! Fico depressiva, anciosa, com uma vontade descontrolada de ficar em casa enfiada na cama a comer… coisas que fazem mal como chocolate quente e derivados de chocolate ou alimentos que tenham chocolate na sua composição! O que acaba por ser nada vantajoso!

Anseio pelo tempo bom, sol e calor! 🙂 Hope!



{7 de Junho de 2010}   Desejos…

Já se comia algo assim.. maldito sejas TPM!!! :S



{7 de Junho de 2010}   Viva a Portugal!

Nestas últimas semanas, o nosso pequeno e pacato “cantinho” viveu e está a viver um turbilhão de acontecimentos fascinantes, apesar destes momentos conturbados de crise económica e financeira!

Depois da visita do Papa a Portugal e do festival de música Rock in Rio, todos estão em grande euforia (e a sofrer por antecipação) com a prestação da Selecção Portuguesa de Futebol, no Campeonato Mundial de Futebol, que decorrerá na África do Sul. Óbvio que este evento será bastante bom para o país em questão. Para o nosso, nem tanto!

A vinda do Papa e o Rock in Rio mobilizou multidões. A visita do Papa deu origem a dois feriados (onde a produtividade desceu em queda!) e o Rock in Rio amealhou imensos eurozitos. E isto do Mundial… a única coisa que rende dinheiro são as cadernetas dos cromos da bola! Eis uma sugestão: façam mais cadernetas dessas mas com outras personagens… o que não falta para ai são cromos desejosos de protagonismo e os 15 minutos de fama!

E que ideia foi aquela da Vuvuzela? Sei que é um instrumento tipicamente africano mas bolas!!!!!! A próxima pessoa que eu ver a tocar aquela porcaria enfio aquilo num certo e determinado sítio! Irritante!!! GOD! A ideia é de transmitir energia positiva…se cá nos jogos particulares, eles não tiveram energia positiva (nem suficiente!), não é a tocar essa bodega cá que eles a vão ter lá!!!!

E outra coisa que me indigna é…a selecção! Observar um jogo da Selecção é como contrair…uma diarreia! Aposto que o grupo desportivo de Freixo de Espada à Cinta jogaria bastante melhor que a nossa selecção! E uma palavra para ti, Cristiano Ronaldo: YOU SUCK! xD nem contigo a 2000 à hora nem com uma selecção feita de Cristianos Ronaldos lá iam! Dedicai-vos a outras actividades, porque para essa não servis!
E os adversários não ajudam! Costa do Marfim? Brasil??? Já foram! Eu se fosse a vós nem lá aparecia. Assim pouparia a nação de desgraças e vergonhas! Para isso já basta as desgraças e vergonhas que enfrentamos com a crise e as coisas que adjacedem dela!

E julgo que seja tudo o que me indigna neste momento sobre a Selecção das Quinas… que vão “quinar” bem depressa!!! Já era! xD

E Mourinho para Seleccionador! \m/

I rest my case!



Hoje é um dia em que mais valia estar-se em casa, no conforto da nossa caminha, enfiados(as) em dezenas de edredons e mantas polares, beber litros de chocolate quente e comer toneladas de torradinhas quentinhas.

Mas para a maioria das pessoas que se dignam a ter uma ocupação na vida (chamada trabalho ou emprego), isso não acontece. Eu como 10% da população portuguesa (os outros 90% são crianças que andam a faltar a escola para mandar os balões de água da janela, os velhotes que levam com os balões em cima da cabeça e ficam todos encharcados e com gripes e pneunomias e as pessoas que não fazem nada de produtivos na vida… ou seja a maioria das pessoas!), tive que vir trabalhar. Não era bem que me apetecesse mas pronto!

Agasalhei-me bastante bem, pois “o Pólo Norte desceu à cidade” e está assim um fresquito agradável (6ºC), munida de um cachecol de lã, umas luvitas de lã (coloridas) e um gorro desses da moda a condizer com as luvas, além das 400 camisolas e casacos e afins. E assim toda contente e airosa, lá saí eu de casa (ao meio-dia) para me dirigir ao meu trabalho.

Notei ao longo do percurso que, além de toda a gente olhar para mim, ainda me sorriam! E eu pensava “será que tenho alguma coisa? para se rirem de mim…”.
As pessoas riam-se de mim por causa do meu gorro! Onde é que já se viu isto?!?! Pessoas que, com 6ºC andam de vestidos e collants (não é leggings… é collant daquele bem fino que se vê tudo e mais alguma coisa), praticamente todas despidas a rirem-se de uma parva que vai de barrete pa rua… ok, confesso: o gorro era um pouco chamativo… ou colorido como quiserem chamar, mas ao menos tinha as orelhinhas quentinhas!!!

Portanto o meu conselho para estes dias que vêm de mais friozinho polar é: VISTAM-SE E NÃO SE RIAM DOS QUE ESTÃO VESTIDOS! E para aqueles que andam sempre agasalhadinhos nestes dias, aqui vai um conselho do coração: Não faz mal que os outros se riam de vocês… pensem que eles estão a fazer uma figura bem pior!!!!



{8 de Fevereiro de 2010}   Dia dos Namorados VS Dia dos Encalhados

Pois é! Anda meio mundo e o outro a preparar tudo para o acontecimento do ano: Dia dos Namorados. Fazem-se reservas em hotéis de 4 e 5 estrelas, em SPA’s e restaurantes glamorosos e cheios de requinte. Planeia-se a noite, como esta será e como, eventualmente, terminará! E decerto que a maioria das pessoas sabem como ela terminará (para a alegria de muitos lares!).

Mas o mundo por vezes tem as suas injustiças. Reza a lenda que São Valentim era um bispo que lutou contra as proibições de Cláudio II do casamento em tempo de guerra, afirmando que os solteiros eram melhores combatentes. Porém, Valentim continuou a celebrar casamentos em segredo até que um dia essa prática foi descoberta. Valentim foi preso e condenado a morte. Enquanto estava encarcerado, muitos jovens enviavam-lhe bilhetes e flores dizendo que ainda acreditavam no amor apesar de tudo.Aguardava o cumprimento de sua sentença, apaixonou-se pela filha cega de carcereiro e curou-a da sua cegueira de modo milagroso. Antes de ser executado, escreveu uma carta à sua amada e assinou como “do seu namorado” ou “do seu valentim”. Ele acabou por falecer no dia 14 de Fevereiro.

Assim sendo, celebra-se o dia dos namorados, em homenagem a este mártir do amor. Mas, na minha mais sincera e humilde opinião, o dia dos namorados, ou dia do amor, não deveria se restringir a um único dia no ano, mas sim todos os dias, ou quando acharmos mais apropriado. O simples facto de existir um dia específico para demonstrarmos amor para com a nossa “cara-metade” e oferecermos lhe algo ou fazer algo especial por ela não nos deveria de coabir de fazermos algo mais no resto do ano.

E os desgraçados dos que não encontraram ainda a cara metade, alguém que os completasse, também não são merecerdores de um dia só para eles, em que possam engatar tudo o que mexe, incluíndo animais e velhotas e afins. Acho que deveria de haver o Dia dos Encalhados, para os que estão… digamos, Encalhados. Vou assinar uma petição para a criação de um dia mundial do encalhado! 🙂



et cetera